Mineirão

Cadeiras do Mineirão são cobertas com as cores da bandeira LGBT para simbolizar estatística

28 de junho de 2019

O apoio à diversidade é cada vez mais lembrado e discutido em ambientes diversos, incluindo àqueles reconhecidos como redutos masculinos. Porém um estudo do Grupo Gay da Bahia aponta que, apenas no ano de 2018, 420 pessoas morreram no Brasil de forma violenta por serem LGBT+ (lésbicas, gays, bissexuais ou transexuais).

Ação do Mineirão no Dia Internacional do Orgulho LGBT. Foto: Pedro Vilela / Agencia i7 / Mineirao

Como signatário da Rede Brasil do Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU) e sempre atento às questões de inclusão social e igualdade de gênero, nesta sexta-feira, 28 de Junho, Dia Internacional do Orgulho LGBT, funcionários do Mineirão cobriram 420 cadeiras do estádio com as cores da bandeira LGBT, simbolizando essa triste estatística da sociedade brasileira. O Brasil carrega o negativo título de pais que mais mata pessoas do grupo de minorias sexuais no mundo, demonstrando que marcas, empresas, clubes e sociedade se mobilizam mas, na prática, muito ainda precisa mudar.

O número revela que mais de uma pessoa é morta por dia, com a ação a equipe do estádio pretende dar visibilidade a esta realidade. Para a gerente de Relações Institucionais do Mineirão, Ludmila Ximenes, essa ação reafirma o compromisso do Mineirão como um espaço inclusivo e plural. “Pelo terceiro ano realizamos uma ação no Dia do Orgulho LGBT. Já iluminamos o estádio com as cores do arco-íris, no ano passado realizamos casamentos plurais no gramado do Mineirão e, este ano, focamos em um número impactante. É um dado que revela que muito ainda precisa ser feito.”, disse.

Obs: Os termos LGBT+ e LGBT estão reproduzidos neste texto da mesma forma como estão no relatório citado.